Translate

8 de outubro de 2013

O último post

Caro visitante,

A partir de hoje, todas as notícias e novidades do Instituto Baccarelli estarão concentradas em nosso novo site: www.institutobaccarelli.org.br 
O nosso blog continua existindo, mas estará hospedado dentro desse endereço (http://institutobaccarelli.org.br/blog/), com o objetivo de integrar as nossas mídias sociais e facilitar o acesso, nos deixando ainda mais próximos de você! Esperamos a sua visita! 



7 de outubro de 2013

Concerto Jovens Solistas do Instituto Baccarelli emociona e diverte público

Sob regência do maestro Isaac Karabtchevsky, quatro jovens do Instituto solaram sobre o palco da Sala São Paulo, um dos mais importantes do mundo

Da esq. para a direita: Flanklin Santos, Thiago Araújo, Filipe Dost e Luiz Fernando Venturelli

“Este é um concerto excepcional. Todos os anos, desde que assumi a direção artística do Instituto Baccarelli, em 2011, damos a estes jovens a oportunidade de solarem sobre um dos palcos mais importantes do mundo. E eles sempre mostram que estão preparados”. Foi dessa forma que o maestro Isaac Karabtchevsky abriu a apresentação do último domingo (06/10) na Sala São Paulo.

O concerto que leva o nome de “Jovens Solistas do Instituto Baccarelli” é um dos mais aguardados da Temporada oficial da Orquestra, pois tem um gostinho especial: o de revelar jovens talentos e de retribuir, com essa oportunidade, todo o esforço e energia que eles dedicam à carreira de músicos.
Filipe Dost, violinista, 23 anos; Thiago Araújo, trompetista, 22 anos; Flanklin Santos, violinista, 17 anos; e Luiz Fernando Venturelli, violoncelista, 13 anos. Nessa ordem, os solistas da noite subiram ao palco e, antes de executarem as obras, foram convidados pelo maestro a se apresentarem ao público e contarem um pouco de suas histórias.

Natural de Ji-Paraná (RO), Filipe emocionou a plateia ao falar sobre a dificuldade de deixar a família e os amigos e mudar radicalmente de vida. Thiago Araújo, que é natural de Cubatão (SP), deu um grande exemplo de perseverança ao compartilhar que já pensou em desistir (que desperdício teria sido!). Flanklin Santos, de Castro (PR), agradeceu aos familiares e ao Instituto Baccarelli pela oportunidade, e arrancou risos do público ao confessar que estava nervoso. “Esse nervosismo dele é só para falar, na hora de tocar ele extravasa”, brincou o maestro Karabtchevsky. E Luiz Fernando Venturelli, natural de Santos (SP), foi preciso ao dizer que “faz o que ama, por isso estava ali”.

Com uma clara e óbvia sintonia entre solistas e músicos da Orquestra, as obras foram executadas com cuidado e primor. E o público sentia junto: ficava nervoso pelos meninos, emocionado por eles, aliviado ao ver tudo correndo bem e extremamente feliz e satisfeito com o resultado final.

“Hoje vou realizar um sonho”, disse Luiz Fernando antes de subir no palco. “O concerto para violoncelo do Dvorák é a obra mais difícil da minha vida”. Após o término da apresentação e com o sonho realizado, novamente de maneira precisa o jovem de apenas 13 anos resumiu: “O concerto foi fantástico!!!!!!!”.

“Nunca vou me esquecer desse dia!”, disse Thiago. Certamente, um dia inesquecível para eles, mas também para todos os que torceram, se emocionaram e testemunharam e evolução de cada um sobre o palco da grandiosa Sala São Paulo.

Filipe Dost toca o Romance para violino nº2 de Ludwig van Beethoven/Foto: Alex Albino
Thiago Araújo toca o Concerto para trompete de Aleksandr Grigori Arutiunian/Foto: Alex Albino
Flanklin Santos toca o Concerto para violino nº 1 de Max Bruch/Foto: Alex Albino
Luiz Fernando Venturelli toca o Concerto para violoncelo de Antonín Dvórak/Foto: Alex Albino

30 de setembro de 2013

MASTERCLASSES de trompa, trombone e contrabaixo com a Orquestra Sinfônica de Lahti

Respeitados músicos da Finlândia no Instituto Baccarelli! Inscrições para ativos até o dia 11/10, com a Produção




No dia 17 de outubro (quinta-feira), o Instituto Baccarelli tem a honra de receber quatro grandes músicos para ministrar masterclasses aos seus alunos: Petri Komulainen (trompa), Vesa Lehtinen (trombone) e Eero Munter (contrabaixo), integrantes da Orquestra Sinfônica de Lahti, da Finlândia.

As aulas acontecerão a partir das 14h, na sede do Instituto Baccarelli, e são abertas a todos os músicos do Instituto. Aqueles que desejarem participar como ativos, deverão se inscrever com o departamento de Produção até o dia 11/10 (sexta-feira).

Sobre a Orquestra Sinfônica de Lahti

Com mais de um século de história (foi fundada em 1910), a Orquestra Sinfônica Finlandesa de Lahti vem se destacando nos últimos vinte anos como um dos mais respeitados conjunto sinfônicos da cena internacional. Frequentemente descrita como “milagre de uma cidade pequena” – Lahti, no sul da Finlândia, tem apenas 100 mil habitantes, enquanto Helsinque,a capital, tem 600 mil –, há muito a orquestra vem buscando aspirações bem além das de um conjunto provincial.
Bom exemplo dessa postura foi a construção de uma magnífica sede, a Sibelius Hall, inaugurada no ano 2000. O fato é que, sob direção dos maestros Osmo Vänskä, Jukka-Pekka Saraste e, a partir de 2011, Okko Kamu, a Sinfônica de Lahti vem conquistando notável espaço em um mundo orquestral muito mais amplo.
Com imaginativas interpretações de obras dos repertórios clássico e moderno, a orquestra ganhou grande visibilidade internacional – através de suas gravações para a gravadora sueca BIS, de elogiadas apresentações no BBC Proms de Londres e no Musikverein em Viena e ainda de turnês de sucesso por Japão, China, Estados Unidos e vários outros países.

Okko Kamu, regente
Okko Kamu é desde o outono de 2011 regente titular da Orquestra Sinfônica Finlandesa de Lahti e diretor artístico do Festival Sibelius. Finlandês nascido em Helsinque, hoje com 67 anos, Kamu foi inicialmente violinista na Filarmônica de Helsinque. Como maestro, começou na orquestra da Ópera Nacional Finlandesa. Em 1969 ganhou o primeiro
prêmio no concurso internacional de regência Herbert von Karajan, em Berlim, o que o projetou internacionalmente.
Conhecido por sua versatilidade, Okko Kamu já regeu quase todas as mais importantes orquestras do mundo. Sua carreira fonográfica tem mais de uma centena de gravações para selos como Deutsche Grammophon, BIS e Naxos. Entre seus projetos está gravar todas as sete sinfonias de Sibelius com a Sinfônica de Lahti.

27 de setembro de 2013

Sob regência do maestro Isaac Karabtchevsky, Orquestra Sinfônica Heliópolis apresenta concerto Jovens Solistas

Quatro jovens músicos do Instituto Baccarelli terão o privilégio de solar sobre um dos palcos mais importantes da América Latina

Na foto, o flautista da OSH, Leandro Oliveira, durante concerto Jovens Solistas de 2012/Foto: Marcos Bizzotto

A Orquestra Sinfônica Heliópolis, dirigida pelo renomado maestro Isaac Karabtchevsky, volta ao palco Sala São Paulo no dia 06 de outubro, às 17h, para realizar uma das apresentações mais aguardadas da Temporada 2013. “O concerto Jovens Solistas é especial. Além de ser um reconhecimento aos melhores músicos do Instituto Baccarelli, dando a eles a oportunidade de atuarem como solistas sobre o palco de uma das mais importantes salas de concerto da América Latina, é um estímulo para todos os músicos da casa. Desde que assumi a direção artística do Instituto Baccarelli, em 2011, dei a eles esse desafio; primeiro por ser uma oportunidade de amadurecimento artístico; e segundo por confiar plenamente no talento e capacidade de cada um para assumir essa responsabilidade”, afirma o maestro Isaac Karabtchevsky, que também é regente titular da Orquestra.

Os quatro músicos que vão solar sobre o palco da Sala São Paulo são alunos do Instituto Baccarelli e foram selecionados através de um teste realizado dentro do próprio Instituto. São eles: Filipe Dost, violino; Thiago Araújo, trompete; Flanklin Santos, violino; e Luiz Fernando Venturelli (violoncelo). 

A apresentação dá sequência a maior Temporada da história da Orquestra – com nove datas na Sala São Paulo. Além disso, a Orquestra Sinfônica Heliópolis é a convidada da Osesp para compor sua Temporada durante o período em que realizará uma turnê pela Europa, e irá se apresentar na Sala São Paulo nos dias 10, 11 e 12 de outubro, com uma obra inédita de André Mehmari encomendada especialmente para um dos concertos. 

Só neste ano, a Orquestra Sinfônica Heliópolis já contou com a participação da pianista israelense Berenika Glixman, do maestro e violinista lituano Julian Rachlin, da soprano japonesa Eiko Senda, do violoncelista brasileiro Antonio Meneses e dos coros da Cultura Inglesa e do Conservatório de Tatuí. No segundo semestre, será a vez do pianista Tomer Lev se apresentar ao lado da Orquestra, no dia 3 de novembro. Todos eles se somam à lista de outros virtuosos maestros e instrumentistas que já atuaram ao lado da Orquestra – como Zubin Mehta, Peter Gülke Leonard Elschenbroich e Julian Rachlin – que já havia solado com a Orquestra em 2012. 

SERVIÇO:
Orquestra Sinfônica Heliópolis
Isaac Karabtchevsky, regente
Filipe Dost, violino
Thiago Araújo, trompete
Flanklin Santos, violino
Luiz Fernando Venturelli, violoncelo
Ingressos: R$ 40 (com meia-entrada). 
Mais informações: 11 3223 3966 (Bilheteria Sala São Paulo)
Vendas: Ingresso Rápido ou Bilheteria da Sala São Paulo
Classificação etária: Livre
Acesso para portadores de necessidades especiais
Estacionamento Estapar (R$ 12 com desconto Estapar/ R$ 20 sem desconto)

Programa:
6 de outubro – domingo – 17h00 – Sala São Paulo
Concerto “Jovens Solistas do Instituto Baccarelli”

Ludwig van Beethoven
Filipe Dost, violino

Aleksandr Grigori Arutiunian
Concerto para trompete 
Thiago Araújo, trompete

Max Bruch
Concerto para violino nº 1, op. 26, em sol 
Flanklin Santos, violino

Antonín Dvorák
Concerto para violoncelo, op. 104, em si
Luiz Fernando Venturelli, violoncelo

Orquestra Sinfônica Heliópolis
Isaac Karabtchevky, regente

19 de setembro de 2013

Com apoio do Banco Volkswagen, Instituto Baccarelli lança transporte gratuito para seus alunos


“Buscarelli” pretende diminuir a evasão de alunos do Instituto e facilitar a chegada de novas crianças de Heliópolis e região.

Cerimônia de lançamento ocorreu nesta quinta-feira (19)




O custo de levar e buscar a criança de transporte público ou a falta de disponibilidade dos responsáveis por levá-la ao Instituto Baccarelli dentro do horário de expediente comercial. Esses são alguns dos motivos alegados por muitas famílias para a não inscrição de seus filhos nas aulas do Coral da Gente, ou até para a evasão dos alunos já matriculados neste e em outros cursos do Instituto.

Com o apoio do Banco Volkswagen – que patrocinou a compra do veículo –, o Instituto Baccarelli passa a disponibilizar um ônibus gratuito, que fará uma rota circular parando em pontos pré-determinados para atender seus alunos, aumentando o alcance geográfico e a abrangência social de seu atendimento em Heliópolis e região. A cerimônia de lançamento do primeiro BUSCARELLI – nome escolhido em uma votação realizada entre todos os alunos e funcionários do Instituto – foi realizada nesta quinta-feira (19), às 9h, na sede do Instituto Baccarelli, e contou com a presença do presidente do Banco Volkswagen, Décio Carbonari, o presidente da Fundação Volkswagen, Eduardo Barros, e a diretora de Relações Institucionais da Fundação Volkswagen, Keli Smaniotti, além do presidente do Instituto Baccarelli, sr. Victório Broetto, e da inestimável Comissão de Pais "Mães na Massa e Pais na Tábua"!

“O Instituto batalhou muito para conseguir abrir mais vagas para a comunidade e conquistou isso graças a um contrato com a Prefeitura de São Paulo, via Secretaria Municipal de Educação. Com as vagas veio o desafio de viabilizar a entrada das crianças mais vulneráveis, que vivem nas regiões menos desenvolvidas de Heliópolis e mais afastadas do Instituto, cujas famílias não têm um responsável disponível para trazê-las na aula ou não podem arcar com o custo do transporte público. Aí entra o Buscarelli”, explicou o diretor de Relações Institucionais do Instituto, Edmilson Venturelli.

Em nome da Comissão de Pais do Instituto, Micilene Ferreira Câmara, mãe da aluna Maria Eduarda, agradeceu ao Banco pela oportunidade: “O Instituto Baccarelli proporciona lazer e cultura para as crianças, mas também para as famílias. E o papel da Comissão de Pais é justamente buscar inclusão para essas famílias da comunidade. Hoje, muitas crianças não participam do projeto pois não têm condições para se deslocarem até o Instituto; mas eles também têm o direito de sonhar, e o Buscarelli é uma facilidade para que esse sonho se concretize. Estamos começando um trabalho e esperamos que essa inclusão cresça cada vez mais.”


Convidado a se pronunciar, o presidente da Fundação Volkswagen, Eduardo Barros, reforçou a parceria com o Instituto, que vem desde 2001: “Sempre que a gente vem até aqui, reforçamos a nossa satisfação em apoiar um trabalho tão sério e transformador quanto o do Instituto Baccarelli. Podem ter certeza de que vamos sempre apoiar tudo o que vocês fazem aqui.”


Por fim, o presidente do Banco Volkswagen, Décio Carbonari, deu os parabéns para o Instituto e para a Comissão de Pais por acreditarem na parceria com o Instituto e entregou a chave do ônibus ao presidente do Instituto Baccarelli, sr. Victório Broetto.

Depois dos depoimentos sobre a importância do ônibus, todos os presentes foram convidados a prestigiar duas apresentações do Coral da Gente e o ensaio da Orquestra Sinfônica Heliópolis, que prepararam repertórios especiais pra receber os convidados.

A pretensão é de que, até o final deste ano, dois ônibus estejam circulando pela comunidade.



Potencial de atendimento

Em 2009, o Instituto Baccarelli inaugurou sua nova sede: um espaço de referência para o ensino/estudo de música, com salas tecnicamente adequadas, aumentando a qualidade e a eficiência do trabalho realizado, além da capacidade de atendimento: neste mesmo ano foram feitos 752 atendimentos ao longo de 12 meses; em 2010 foram 1515, um aumento de quase 50%.

A segunda etapa do projeto da nova sede está sendo concluída e a terceira (construção de um teatro para 600 pessoas) está em fase de captação. A conclusão de cada etapa se constituirá em um novo marco para o aumento da capacidade de atendimento e também para a relevância do trabalho do Instituto Baccarelli na comunidade Heliópolis, que ganha abrangência e visibilidade.

Mas os recursos para um aumento da capacidade de atendimento não se restringem aos aspectos de estrutura física, também são necessários investimentos em recursos humanos, materiais pedagógicos e manutenção. Nesse sentido, um contrato com a Secretaria Municipal de Educação de São Paulo a abertura de 1300 novas vagas.

Atualmente, 870 dessas vagas já foram preenchidas e 430 estão abertas. No processo de divulgação dessas vagas, o Instituto se deparou com um grande número de famílias que alegam não poder inscrever seus filhos por não ter quem leve e busque a criança nas aulas. A maioria delas nem chega a preencher a ficha de interesse ao obter a informação de que não há nenhum tipo de “transporte escolar”.

Por ser uma comunidade muito grande, Heliópolis apresenta desigualdades internas. As regiões mais próximas às Juntas Provisórias – conhecidas como Pilões e Morro da USP, por exemplo, têm menos oferta de projetos sociais e culturais do que as regiões mais próximas à Rua da Mina e ao Largo de São João Clímaco, onde ficam a UNAS, o Instituto Baccarelli e o Centro de Convivência Educacional e Cultural de Heliópolis (CCECH). Para muitos moradores, a necessidade de pegar um ônibus de linha pode inviabilizar o acesso a tais projetos. Para outros, a necessidade de ter um responsável disponível para levar e buscar as crianças é que é determinante, já que os responsáveis costumam estar trabalhando nos horários de início e término das aulas.

Nos dois casos, a oferta de um transporte específico, gratuito e com hora e local de passagem pré-determinados, pode ser a diferença entre poder ou não participar do Coral da Gente. Mais do que aumentar o número de atendidos, a existência de um transporte possibilitará o aumento do acesso, ou seja, a capacidade do Instituto Baccarelli oferecer uma alternativa cultural e educacional às crianças das regiões menos favorecidas da comunidade ou das famílias mais vulneráveis, que não têm um responsável cuidando das crianças durante o dia.

Escolha do Buscarelli

Na semana de 22 a 26 de abril, o Instituto Baccarelli realizou uma eleição para escolher o nome do mais novo serviço que oferecerá para seus alunos: um transporte circular gratuito. Todos os colaboradores, alunos e membros da Comissão de Pais do Instituto puderam participar da votação.

As opções eram (1) Passarão, (2) Buscarelli e (3) Baccabus. Esses nomes foram criados pela área de Comunicação do Instituto Baccarelli e pela agência Dona Dita, Parceira de Fé do Instituto. O nome eleito foi Buscarelli, com 64,44% dos votos. O nome é uma fusão entre as palavras "Bus" (ônibus em inglês), "Buscar" e "Baccarelli"

A campanha “BUSca-se um nome” teve o objetivo de divulgar para o público interno a iniciativa de oferecer transporte para os alunos e, principalmente, de obter um nome mais legítimo, com o qual a comunidade se identifique.