Translate

31 de julho de 2012

Um Festival para todos os cantos!



Nos dias 27, 28 e 29 de julho aconteceu o 1º Festival Canta Coral do Instituto Baccarelli. Ao longo dos três dias, cerca de 600 crianças participaram de oficinas, assistiram apresentações e se apresentaram para seus colegas. O clima era de Festival; o primeiro da vida desses jovens artistas.

Na programação, oficinas de Maquiagem, Expressão Corporal, Hip Hop, Ragga Dancehall, Dança Afro, Baby Ballet , House, Wackin´/ Voguin´, Street Jazz, Fisioterapia, Fonoaudiologia e Musical. Por traz dessa diversidade de temas, a convicção de que os alunos devem ter contato com linguagens que tangenciam a atuação de um(a) cantor(a) profissional – como dança e maquiagem, despertando um olhar mais abrangente sobre a arte e mais holístico sobre o artista.

Gabriela Souza, idealizadora e coordenadora do evento, explica que “conhecer as outras dimensões do canto pode acrescentar muito na formação dos alunos. Um músico que atua e dança, por exemplo, tem uma performance de palco muito mais complexa e completa. Claro que cada um tem mais ou menos facilidade para uma atividade do que para outra, mas é importante experimentar. No Instituto queremos formar artistas completos, conscientes de seu potencial, de suas dificuldades, do contexto em que vivem e da arte”.


Grupos de dança dos projetos PEAMA (Jundiaí) e APAE (Várzea Paulista), que atendem pessoas com deficiência, realizaram apresentações comoventes. Crianças, jovens e adultos com pouca ou nenhuma visão, dificuldades de locomoção, Síndrome de Down, entre outros, comoveram não por suas limitações, mas por seu potencial, por dançar com competência e beleza, superando todas as dificuldades. Para completar o hall de atrações convidadas, o cantor lírico Marcelo Vannucci encheu a sala com seu vozeirão e o Coral Infanto Juvenil do Núcleo Joanna de Angeles (Botucatu) mostrou o belo trabalho feito pela regente Maira Ferreira, que também é professora do Instituto Baccarelli.

O programa Coral da Gente é responsável pelo atendimento de 976 crianças e jovens, a base de todo o trabalho de ensino musical realizado pelo Instituto Baccarelli. Para aprofundar sua atuação, em menos de um ano o programa abriu duas importantes frentes: Em uma das pontas foram abertas turmas de musicalização infantil, que diminuíram a idade mínima de atendimento de 06 para 04 anos de idade. Na outra ponta, foi formado um grupo avançado que passou a ter aulas individuais de técnica vocal com Erika Muniz e receber um auxílio financeiro, para se dedicarem à profissionalização em canto.


O resultado desse verdadeiro trabalho de base é que nas orquestras do Instituto Baccarelli é possível encontrar instrumentistas diferenciados. Pessoas que se desenvolveram técnica e humanamente, que começaram seus estudos musicais em corais nos quais aprenderam a dominar a voz, a tirar o melhor de seus corpos, a trabalhar em grupo e para o grupo, a ter responsabilidade, valorizar e aproveitar as oportunidades.

Também o recente trabalho de profissionalização em canto já tem mostrado ótimos resultados. Durante o 1º Festival Canta Coral, a cantora lírica Luciana Bueno ofereceu uma masterclasse para os 8 alunos do curso individual de técnica vocal, e ficou impressionada com o que viu. “Eu não sabia o que esperar, mas eles têm um material muito bom, e é praticamente um fenômeno que eles estejam cantando assim só com 4 meses de aula individual. Com certeza quem quiser e se dedicar pode seguir uma carreira profissional como cantora ou cantor”, afirma Luciana”.

No Festival, os grupos iniciantes do Coral da Gente se apresentaram uns para os outros. Cada grupo elegeu um tema para vestir, cantar e dançar. Alguns grupos se apresentaram pela primeira vez, e as crianças mostraram muita personalidade diante de um público de cerca de 600 pessoas. Os grupos intermediários, avançados e técnica vocal coletiva, da professora, também mostraram o resultado de seus trabalhos. “Como são muitas turmas, nem sempre os alunos conhecem o trabalho dos outros corais, além do que participam. Mas isso é muito importante. Os grupos mais avançados são motivação para quem está começando e, ao mesmo tempo, é importante para eles lembrar de onde vieram, para valorizar cada oportunidade e cada conquista”, explica Gabriela, orgulhosa do resultado do primeiro de muitos Festivais Canta Coral.



13 de julho de 2012

Visitantes ilustres

Nos últimos anos, a qualidade e o sucesso alcançados pela Sinfônica Heliópolis tem despertado crescente interesse de músicos e empreendedores do meio musical para o trabalho do Instituto Baccarelli. Como uma orquestra tão jovem conseguiu o respeito e a parceria de nomes como o maestro indiano Zubin Mehta, patrono do projeto? Como um projeto social situado na periferia de São Paulo pode atrair músicos de todo o país e até do exterior? Como crianças e adolescentes de Heliópolis foram conquistados pela música erudita e tiram dela novas perspectivas de vida?

As questões são pertinentes e a busca por respostas extrapola as fronteiras do Brasil. Cada vez mais personalidades reconhecidas no meio musical internacional incluem em suas agendas, ao passar pelo Brasil, uma parada em Heliópolis, no Instituto Baccarelli. E o mês de junho foi repleto dessas agradáveis visitas.






No dia 13/06, o maestro britânico Frank Shipway conheceu o Instituto Baccarelli. Ele presenciou aulas e ensaios de corais, aulas de instrumento e conduziu parte do ensaio da Sinfônica Heliópolis – já habituada a falar a língua universal da música com maestros e solistas das mais diversas nacionalidades.

Já o dinamarquês Thomas Dausgaard, que conhecia o projeto de uma visita anterior, fez questão de passar por aqui, no dia 29 de junho, para rever os amigos e saber como as coisas andaram. Dausgaard descobriu que agora as crianças começam a fazer aulas de musicalização a partir dos 04 anos de idade, que o número de beneficiados pelo trabalho do Instituto quase dobrou e que a Sinfônica Heliópolis – que ele também regeu durante o ensaio do dia – amadureceu e está ainda melhor.

Ambos os maestros estavam em São Paulo para participar da temporada 2012 da principal orquestra do país, a OSESP, que organizou as visitas ao Instituto Baccarelli. O Diretor artístico da OSESP, Arthur Nestrovski, acompanhou Dausgaard pessoalmente no dia 29/06.


Também destacamos o intercâmbio com a arpista Heleen Vandeputte, da Orquestra Nacional da Bélgica, que conheceu Instituto no dia 27/06, para obter referências para o projeto de ensino de música que está desenvolvendo. Atividades e entrevistas também foram registradas pela TV SBS, da Austrália, que está preparando uma reportagem especial, contando a história do Instituto Baccarelli para o público australiano.

---

Em agosto, Zubin Mehta virá mais uma vez ao Brasil. Mais uma vez para reger a Sinfônica Heliópolis, tendo o violinista lituano Julian Rachlin como solista. Dessa vez, trata-se de um concerto beneficente, no Theatro Municipal de São Paulo. Como sempre, será uma honra!



22 de agosto, às 21h
Theatro Municipal de São Paulo - Praça Ramos de Azevedo, s/nº - Centro - SP
Vendas: Ingresso Rápido (www.ingressorapido.com.br) a partir da última semana de julho/2012
Ingressos de R$150 a R$300*

* Toda a receita do concerto será destinada ao trabalho sociocultural realizado pelo Instituto Baccarelli. Para mais informações e doações em outros valores, entre em contato com a organização: contato@institutobaccarelli.org.br